GREG LONG
IN THE WAITING
Emissão Online
 
2017-02-14 00:00:02
A Ressurreição de Jesus e a Nova Vida
“O ladrão não vem senão a roubar, a matar, e a destruir; Eu vim para que tenham vida, e a tenham com abundância.” João 10:10.

A ressurreição de Jesus era um símbolo da ressurreição final de todos quantos n’Ele dormem. DN, pág. 598.

Aquele que dissera: “Dou a Minha vida para tornar a tomá-la”, saiu da sepultura para a vida que havia n’Ele mesmo. A humanidade morreu; a divindade, não. Na Sua divindade, Cristo possuía o poder de quebrar as cadeias da morte. Ele declara que tem vida em Si mesmo para vivificar a quem Ele quer. 5BC, pág. 1113.

Ele é a fonte da vida. Unicamente Aquele que, Ele só, possui a imortalidade, que habita na luz e na vida, podia dizer: “Tenho poder para a dar, e poder para tornar a tomá-la.” …

Cristo foi investido com o direito de dar imortalidade. A vida que Ele depusera na humanidade, tornou a tomar e deu-a à humanidade. “Eu vim”, diz Ele, “para que tenham vida, e a tenham com abundância.” 5BC, págs. 1113 e 1114.

Cristo é a própria vida. Aquele que passou pela morte a fim de destruir o que tem o império da morte, é a Fonte de toda a vitalidade. Há bálsamo em Gileade, há aí Médico. Cristo suportou uma morte angustiosa sob as mais humilhantes circunstâncias, para que pudéssemos viver. Depôs a Sua preciosa vida a fim de vencer a morte. Mas surgiu da sepultura, e as dezenas de milhares de anjos que vieram assistir quando Ele retomou a vida que tinha deposto, ouviram as Suas palavras de triunfante alegria quando Se ergueu do sepulcro aberto de José, proclamando: “Eu sou a ressurreição e a vida”. 2TS, pág. 487.

A ressurreição e a ascensão do nosso Senhor são uma prova segura do triunfo final dos santos de Deus sobre a morte e a sepultura, e um penhor de que o Céu está aberto para os que lavaram as vestes do carácter e as branquearam no sangue do Cordeiro. Jesus subiu ao Pai como representante da raça humana, e Deus levará os que reflectem a Sua imagem a contemplar a Sua glória e a participar dela. 3TS, pág. 433.

 

Por:
Partilhe:
newsletter
Copyright 2017 Rádio RCS