LABIRINTOS DO VIVER
47 - PSICODAM 7 VIOLÊNCIA DOMÉSTICA
newsletter
2017-06-18 00:00:06
O Estado do Homem na Morte
“Porque os vivos sabem que hão-de morrer, mas os mortos não sabem coisa nenhuma, nem tão pouco eles têm jamais uma recompensa, mas a sua memória ficou entregue ao esquecimento. Até o seu amor, o seu ódio e a sua inveja já pereceram, e já não têm parte alguma neste século, em coisa alguma do que se faz debaixo do Sol.” Eclesiastes 9:5 e 6.

A teoria da imortalidade da alma foi uma das falsidades que Roma tomou emprestadas do paganismo, incorporando-as na religião cristã. Martinho Lutero classificou-a entre as “monstruosas fábulas que fazem parte do monturo romano das decretais”. Comentando as palavras de Salomão no Eclesiastes, de que os mortos não sabem coisa nenhuma, diz o reformador: “Outro passo, provando que os mortos não têm … sentimentos. Não há ali”, diz Ele, “deveres, ciência, conhecimento, sabedoria. Salomão disse que os mortos estão a dormir, e não sentem absolutamente nada. Pois os mortos ali jazem, não levando em conta nem dias nem anos; mas, quando despertarem, parecer-lhes-á que dormiram apenas um minuto.” CS, pág. 404.

O mártir Tindale, referindo-se ao estado dos mortos, declarou: “Confesso abertamente que não estou persuadido de que eles já estejam na plena glória em que Cristo está, ou em que estão os anjos eleitos de Deus. Tão pouco isto é um artigo da minha fé; pois, se assim fosse, não vejo nisto senão que o pregar a ressurreição da carne seria coisa vã.” Idem, pág. 402.

Segundo a crença popular, os remidos no Céu estão a par de tudo o que ocorre na Terra, e especialmente da vida dos amigos que aqui deixaram. Mas como poderia ser fonte de felicidade para os mortos o saberem das dificuldades dos vivos, …? E quão revoltante não é a crença de que, logo que o fôlego deixa o corpo, a alma do impenitente é entregue às chamas do inferno! Em que profundas angústias deverão mergulhar os que vêem os seus amigos passarem à sepultura sem estarem preparados, para entrarem numa eternidade de miséria e pecado! Muitos têm sido arrastados até à insanidade por este inquietante pensamento. Idem, pág. 401.

Cristo apresenta a morte, para os Seus filhos crentes, como um sono. A sua vida está escondida com Cristo em Deus, e até que soe a derradeira trombeta, os que morrem dormirão n’Ele. DN, pág. 448.

Por:
Partilhe:
Emissão Online
Copyright 2017 Rádio RCS