LABIRINTOS DO VIVER
47 - PSICODAM 7 VIOLÊNCIA DOMÉSTICA
newsletter
2017-06-23 00:00:06
Cristo, as Primícias
“Se esperamos em Cristo só nesta vida, somos os mais miseráveis de todos os homens. Mas, agora, Cristo ressuscitou dos mortos, e foi feito as primícias dos que dormem.” I Coríntios 15:19 e 20.

Cristo ressurgiu dos mortos como as primícias dos que dormem. Era representado pelo molho movido, e a Sua ressurreição teve lugar no próprio dia em que o mesmo devia ser apresentado perante o Senhor. Durante mais de mil anos realizara-se esta cerimónia simbólica. Das searas colhiam-se as primeiras espigas de grãos maduros, e quando o povo subia a Jerusalém, por ocasião da Páscoa, movia-se o molho das primícias como uma oferta de acções de graças perante o Senhor. Enquanto essa oferta não fosse apresentada, a foice não podia ceifar o cereal, nem estes serem reunidos em molhos. O molho dedicado a Deus representava a colheita. Assim, Cristo, as primícias, representava a grande messe espiritual a ser colhida para o reino de Deus. A Sua ressurreição é o tipo e o penhor da ressurreição de todos os justos mortos. “Porque, se cremos que Jesus morreu e ressuscitou, assim também aos que em Jesus dormem Deus os tornará a trazer com Ele.” DN, pág. 671.

A ressurreição de Cristo foi uma amostra da ressurreição final de todos os que n’Ele dormem. O corpo ressurrecto do Salvador, a Sua postura, a Sua forma de falar, tudo era familiar aos Seus seguidores. Do mesmo modo ressuscitarão os que dormem em Jesus. Reconheceremos os nossos amigos, como os discípulos reconheceram Jesus. Embora tivessem sido deformados, corrompidos por doenças, ou desfigurados nesta vida mortal, contudo, no corpo ressurrecto e glorificado, ser-lhes-á perfeitamente preservada a identidade individual, e reconheceremos, nas faces radiantes com o brilho que irradia da face de Jesus, os traços fisionómicos daqueles que amamos. 6BC, pág. 1092.

Na Sua segunda vinda, todos os queridos mortos ouvirão a Sua voz, saindo para uma vida gloriosa, imortal. O mesmo poder que levantou Cristo dentre os mortos, erguerá a Sua igreja, glorificando-a com Ele, acima de todos os principados, de todas as potestades, acima de todo o nome que se nomeia, não somente neste mundo, mas também no mundo que há-de vir. DN, págs. 672.

Ele receber-nos-á com honra. Ser-nos-á dada uma coroa da vida que jamais murchará. ST, 9-7-1902.

Por:
Partilhe:
Emissão Online
Copyright 2017 Rádio RCS